2019 ICO CROSSMINTON BRAZILIAN OPEN

Dias 13 e 14 de Abril de 2019

Local: Jacareí (SP)       



Ouro no badminton, chinesa lembra "entregada" e diz: medalha é de todos

Data: 05/08/12

A dupla chinesa de badminton Tian Qing e Zhao Yunlei venceu as japonesas Mizuki Fujii e Kakiiwa Reika por 2 sets a 0 no sábado, na final de duplas da modalidade na Olimpíada de Londres.

Yunlei valorizou o feito, que aconteceu após o escândalo da outra dupla chinesa inscrita na competição feminina, Yu Yang e Wang Xiaoli.

A parceria acabou expulsa da Olimpíada junto a um time da Indonésia e dois da Coreia do Sul por ter "entregado" confrontos na primeira fase em busca de adversários teoricamente mais fáceis a partir das quartas de final.

Segundo nota publicada no site da Federação Internacional de Badminton, Zhao afirmou que a vitória prova que o time do país é muito forte.

"Eu acho que nós provamos para a equipe chinesa, que, considerando tudo o que tinha acontecido, a China ainda pode ganhar uma medalha de ouro".

Além do ouro conquistado nas duplas Zhao Yunlei também conquistou o ouro no simples, na sexta-feira.

No fim de tudo, o resultado ficou acima de suas expectativas, conforme admitiu: "a glória não é só minha. Eu gostaria de compartilhar a medalha de ouro com as muitas pessoas que estão por trás do meu sucesso" À agência estatal chinesa Xinhua, ela negou ter sentido a pressão e ressaltou que a medalha de ouro serve como incentivo para muitas pessoas.

Zhao ainda afirmou que ela e sua parceira, Qing, merecem a medalha após tantos anos competindo juntas. A atleta concluiu apontando que estão sempre apoiando uma a outra nos momentos difíceis, o que facilitou para chegar ao título.

Fonte: Terra Esportes

Na Marca do Pênalti

Data: 02/08/12

Bristol (EUA) – A metáfora pode ser estranha, em se tratando de badminton, mas o fato é que o esporte da peteca, raquete e rede, muito simpático para se praticar no quintal ou no gramado em uma tarde de fim de semana, corre o sério risco de ser eliminado da pauta olímpica depois dos Jogos a serem disputados no Rio em 2016.

Meus informantes me garantem que, no Rio, o badminton está garantido, mas, depois, provavelmente estará fora, por causa do escândalo da desclassificação de quatro duplas femininas por tentarem perder deliberadamente, agora, em Londres.

Todos falam no momento da partida entre Áustria e Alemanha Ocidental na Copa do Mundo de 1982, em que o resultado de 1 a 0 para os alemães classificava os dois países e deixava a Argélia de fora da fase seguinte, pelo saldo de gols.

Poderiam também ter lembrado o jogo entre Argentina e Peru, na Copa de 1978. A partir dos dois resultados, a FIFA tomou a precaução de fazer com que jogos em que um resultado depende de outro sejam disputados no mesmo horário, para evitar marmeladas semelhantes.

O caso agora é que as jogadoras colocaram o que chamaram “estratégia de competição” acima do resultado imediato.

A dupla chinesa, atual campeã do mundo, queria evitar ter que enfrentar outra dupla de seu país antes da final. Os cartolas do badminton não gostaram, a torcida vaiou, todas as oito implicadas foram desclassificadas.

Mas a Federação Internacional de Badminton tem culpa no cartório, por criar uma tabela de competição sujeita a tais chuvas e trovoadas.

Não é a primeira vez que jogos de badminton são perdidos de propósito.

A diferença é que agora o fato ocorreu na presença do presidente do Comitê Olímpico Internacional e de uma audiência de milhões de pessoas ao redor do mundo, especialmente na Ásia, onde o esporte é muito popular.

Para 2020, tudo indica que será bye, bye, badminton.

Fonte: Gazeta Esportiva

Técnico chinês lamenta falta de luta e assume culpa por "entregada"

Data: 02/08/12

O técnico da equipe chinesa de badmintom, Li Yongbo, assumiu a culpa pelo escândalo da dupla Yu Yang e Wang Xiaoli, que acabou expulsa da Olimpíada junto a uma parceria da Indonédia e duas da Coreia do Sul.

A atitude foi tomada pela Federação Internacional de Badminton, que julgou que as competidoras perderem propositalmente para enfrentar adversários teoricamente mais fáceis nas quartas de final da competição.

Segundo declarações publicadas pelo Comitê Olímpico Chinês, Yongbo disse que, como treinador da equipe, deve desculpas pelo escândalo aos chineses e a todo público que gosta de badminton.

O técnico ainda afirmou que a dupla chinesa não conseguiu fazer valer a boa tradição e o espírito de luta dos atletas nacionais.

O comunicado divulgado pelo comitê chinês informou concordar plenamente com a decisão da federação e apontou que a ação da dupla contrariou totalmente o espírito olímpico e o espírito do "fair play" ("jogo limpo").

O Comitê Olímpico Internacional (COI) também aprovou a decisão, definindo que os esportistas punidos claramente elas estavam dando o seu melhor em quadra.

Após a exclusão, a chinesa Yu Yang, 26 anos, anunciou no Weibo, rede social chinesa, que os Jogos Olímpicos de 2012 foram sua última competição. Na mensagem, a esportista se despede do seu "amado" esporte, conforme classificou.

A aposentadoria veio logo após o país ordenar um pedido de desculpas por parte das atletas. Apesar do escândalo, a competição de badminton continua normalmente na Olimpíada de Londres. Com a exclusão das duplas de Coreia do Sul, Indonésia e China, as parcerias que tinham sido eliminadas e estavam em terceiro e quartos lugares nos grupos A e C (exatamente os mesmos das competidoras expulsas) foram classificadas automaticamente às quartas de final - essa fase do torneio feminino foi disputada nesta quarta-feira.

Fonte: Terra Esportes

Patrocínio inusitado no badminton: um euro a cada seguidor no Twitter

Data: 31/07/12

Para ter melhores condições de treino até as Olimpíadas do Rio de Janeiro, finlandês vai ganhar quantia por seguidor. Limite é de R$ 24,8 mil.

Eliminado na fase de grupos do badminton em Londres na segunda-feira, o finlandês Ville Lang conseguiu um apoio inusitado para conseguir um resultado melhor nas Olimpíadas do Rio, em 2016.

Um dos patrocinadores do atleta anunciou nesta terça-feira que vai pagar uma quantia para o atleta de acordo com o número de seguidores no Twitter de Lang.

A cada seguidor, ele ganha um euro (R$ 2,40).

Mas há limite. O patrocinador avisou que pagará, no maximo, 10 mil euros (R$ 24,8 mil).

Quando houve o anúncio do patrocínio, às 5h (de Brasília) desta terça, Ville Lang tinha 441 seguidores. Mas o número já passou de 6 mil.

O representante da empresa afirmou que a quantia seria destinada à preparação do atleta para os Jogos de 2016.

O jogador, de 27 anos, agradeceu a iniciativa e prometeu se empenhar para chegar bem ao Rio de Janeiro.

- Uau! Cada seguidor vai me ajudar a ter melhores condições até Rio 2016.

Fonte: Globo Esporte

Federação expulsa dos Jogos atletas que tentaram entregar no badminton

Data: 30/07/12

Entidade anuncia exclusão das oito jogadores que tentaram perder suas partidas para conseguir um confronto mais fácil nas quartas de final.

A Federação Internacional de Badminton decidiu nesta quarta-feira excluir dos Jogos Olímpicos de Londres as quatro duplas femininas que jogaram para perder na última rodada da fase de grupos, na terça-feira.

Estão fora das Olimpíadas as chinesas Wang Xiaoli e Yu Yang, as indonésias Greysia Polii e Meiliana Jauhari, e as sul-coreanas Jung Kyung-eun, Kim Ha-na, Ha Jung-eun e Kim Min Jung.

A decisão da entidade recebeu elogios do vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional, Craig Reedie, que já foi presidente da Federação Internacional de Badminton.

- Se você tira o elemento competitivo do esporte, ele fica sem sentido. Você não pode permitir esse time de comportamento sem tomar uma ação firme. A federação acertou - disse.

As duas partidas que envolveram as duplas excluídas provocaram grande polêmica na terça-feira. Depois de sequências de saques no meio da rede e erros bizarros, os torcedores passaram a vaiar as duplas, e os jogos chegaram a ser interrompidos pelos árbitros, que pediram seriedade e ameaçaram desqualificar as atletas, mas nem assim foram atendidos.

As duplas tentaram entregar seus jogos na última fase de grupos porque já estavam classificadas às quartas de final e queriam evitar um confronto mais difícil.

Mas, com dois times querendo entregar no mesmo jogo, criou-se um constrangimento de repercussão mundial. O presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Londres, Sebastian Coe, criticou as atletas.

- Foi inaceitável e deprimente. Quem quer ver um jogo assim? - disse.

Na manhã desta quarta, a Federação Internacional de Badminton decidiu abrir uma investigação contra as atletas, por "não se esforçar para ganhar um jogo". Horas depois, decidiu-se pela exclusão.

Fonte: Globo Esporte

Pedro Martins eliminado na primeira fase

Data: 30/07/12

O português Pedro Martins foi hoje eliminado na primeira fase do torneio masculino de badminton dos Jogos Olímpicos Londres2012, após perder frente ao dinamarquês Peter Gade, quinto cabeça de série, por 2-0.

Numa partida que colocou frente a frente o jogador mais novo e o mais velho da competição, o algarvio, de 22 anos, foi derrotado por 2-0, pelos parciais de 21-14 e 21-8, mas leva na bagagem uma aprendizagem muito grande.

É com estes jogadores que aprendemos bastante. Faz-me falta isto, jogar com jogadores deste tipo, deste calibre. O meu `ranking" não me permite estar em torneios de alto nível, por isso foi um prazer jogar contra um dos meus ídolos.

Aproveitei ao máximo este momento, afirmou Pedro Martins à agência Lusa. Na Wembley Arena, o português, 57º do "ranking" mundial, teve pela frente o quinto cabeça de série da prova e antigo número um.

Aos 35 anos, Peter Gade continua a ser o melhor jogador europeu do "ranking".

Vitória de Telma Santos é um incentivo

Data: 30/07/12

O presidente da Federação de Badminton (FPB), João Matos, afirmou esta segunda-feira que a primeira vitória olímpica de Portugal na modalidade, protagonizada por Telma Santos, é um "incentivo" aos atletas que se "sacrificam todos os dias em Portugal".

"Isto dá um incentivo muito grande para todos os atletas que, tal como a Telma, se sacrificam para conseguir chegar aqui e dar uma alegria a todos os portugueses", disse João Matos, em declarações à agência Lusa.

O presidente da FPB lembrou "o trabalho que muitos atletas tiveram, alguns antes da Telma, para terem condições para poderem estar a este nível", entre os quais o próprio tio da atleta de Peniche, Fernando Silva.

"Apesar de já estarmos nos Jogos desde 1992, com o tio da Telma, tivemos sempre sorteios muito difíceis e agora fez-se história", referiu.

João Matos considerou "muito difícil" uma nova vitória de Telma Santos no encontro de terça-feira com a número 10 mundial, a tailandesa Ratchanok Intanon, embora admita que pode haver "uma nova alegria".

"Amanhã [terça-feira] vai ser um jogo muito difícil. É uma atleta muito forte, já foi três vezes campeã do Mundo de juniores. Vai ser um jogo muito difícil, mas pode haver mais uma alegria", disse.

O dirigente esteve acompanhado no pavilhão de Wembley Park, ao lado do novo estádio de Wembley, pelo seu homólogo do ciclismo, Artur Lopes, que também fez questão em cumprimentar Telma Santos.

Wembley Park é um dos locais emblemáticos dos Jogos de Londres'2012, não pela grandiosidade ou espetacularidade tecnológica, mas por ter sido um dos recintos utilizados nos Jogos de Londres de 1948. As bancadas estão a registar assistências assinaláveis para ver o badminton olímpico e o jogo de Telma Santos foi presenciado por 8.800 espectadores.

Fonte: Record

Mesa-tenista Hoyama se iguala a Torben Grael como brasileiro com mais participações olímpicas

Data: 27/07/12

Símbolo do tênis de mesa no Brasil, Hugo Hoyama vai igualar mais um recorde em Londres: será a sexta participação do mesa-tenista em Jogos Olímpicos, feito alcançado apenas pelo velejador Torben Grael.

Na equipe olímpica desde os Jogos de Barcelona 92, Hoyama volta a participar do torneio individual – em Pequim, esteve apenas na competição por equipe.

A campanha de Hoyama começa neste sábado, dia 28, às 15h (horário de Brasília) em jogo contra o polonês Zengyi Wang. Mais cedo, às 12h (horário de Brasília), Gustavo Tsuboi enfrenta o indiano Soumyajit Ghosh.

Thiago Monteiro, o terceiro representante do time masculino, está apenas na competição por equipe, que começa no dia 3 de agosto.

“Mais do que uma vitória pessoal, esse recorde mostra para outros atletas brasileiros que não há idade para começar ou terminar a carreira”, ensina Hoyama, que não escolhe a lembrança predileta entre as cinco experiências olímpicas. “Em todas elas, tive bons momentos e conheci várias pessoas e lugares diferentes”.

No torneio feminino de simples, Ligia Silva e Caroline Kumahara têm que passar pela fase preliminar, que começa às 9h.

Silva enfrenta Anolyn Lulu, de Vanuatu, e Kumahara joga contra Farah Yasmin Hassan, de Djibouti. Com 16 anos, Kumahara é a brasileira mais bem colocada no ranking da Federação Internacional de Tênis de Mesa e venceu três etapas do Mundial Juvenil.

A seleção feminina é formada ainda por Gui Lin, chinesa naturalizada brasileira, que jogará apenas a competição por equipe. Antes de chegar a Londres, a equipe brasileira se reuniu para um período de dez dias de treinamento em Paris e está confiante em uma boa campanha.

“Fazemos parte do grupo de países que podem surpreender. Vamos encarar um jogo por vez e tentar avançar o máximo possível”, afirmou Thiago Monteiro.

Com 72 mesatenistas no torneio de simples, a competição é disputada em sistema de mata-mata até chegar à final. Os jogos são disputados em melhor de sete games, de 11 pontos cada. Na disputa por equipes, que acontece a partir do dia 3, com 16 países, os duelos são definidos em quatro jogos individuais e uma partida de duplas.

Para diminuir o domínio dos chineses, que, nos Jogos de Pequim 2008 conquistaram todas as medalhas dos torneios de simples e ganharam as duas disputas por equipes, a Federação Internacional de Tênis de Mesa limitou as inscrições na competição individual a dois atletas por país – garantindo assim uma outra bandeira no pódio.

Desde que o esporte foi disputado pela primeira vez nos Jogos Olímpicos, em Seul, em 1988, os chineses conquistaram 20 das 24 medalhas de ouro em jogo. (Fonte: COB)

Fonte: Girassol

Telma Santos quer fazer história

Data: 30/07/12

Telma Santos, que na segunda-feira se estreia na fase de grupos do torneio de badminton dos Jogos Olímpicos Londres’2012, quer fazer história e tornar-se na primeira atleta lusa a conquistar um triunfo na competição.

"O meu objetivo é tentar fazer o que ainda não foi feito, que é vencer uma partida. Nem um set foi possível", afirmou Telma Santos aos jornalistas, em Londres.

A seguir as pisadas do seu tio Fernando Silva, que competiu nesta modalidade em Barcelona’1992, a atleta de Peniche acredita que poderá mesmo vencer na capital britânica, principalmente depois de ter sido sorteada num grupo de três jogadores, que inclui uma "velha conhecida".

"A Thilini Jayasinghe, do Sri Lanka, vai ser a minha primeira adversária e já a defrontei por duas vezes, tendo vencido sempre. A tailandesa (Ratchanok Intanon) tem apenas 17 anos, mas é número 10 mundial, foi três vezes campeã de juniores e por isso será mais complicado", explicou.

Os jogos vão decorrer perante cerca de 13 mil pessoas numa Wembley Arena completamente lotada, um cenário a que os jogadores portugueses estão pouco habituados.

"Vai ser intimidante no início, mas depois, com a concentração, vou estar focada no jogo e vou-me abstrair", referiu Telma Santos.

Menos sorte teve Pedro Martins, também estreante, no torneio masculino, ao calhar com o dinamarquês Peter Gade, que é antigo número um mundial e atualmente quinto e melhor europeu do ranking, e que já conta no seu currículo com três participações em Jogos Olímpicos (Sydney’2000, Atenas’2004 e Pequim’2008).

"Já sabia que me iria calhar um cabeça de série. É um jogador com muita experiência, mas o meu objetivo é ganhar e passar a primeira ronda, por isso, de certeza que vou dar luta", afirmou Pedro Martins, que espera deixar a "família, amigos e Portugal inteiro orgulhosos" com a sua participação.

Fonte: Record

Mais um piauiense estará em Londres

Data: 25/07/12

O implantador do badminton no Piauí vai à Londres para acompanhar o esporte nos jogos olímpicos.

Francisco Ferraz, ex-presidente da Federação Piauiense de Badminton- FEBAPI e atual Presidente da Confederação Brasileira da modalidade- CBBd, embarca nesta quinta para Londres com o objetivo de acompanhar os jogos de badminton que serão disputados pelas maiores potências mundiais na modalidade.

Ferraz sempre se propôs a objetivos difíceis. Enquanto pioneiro em disseminar a modalidade pelo nordeste, ele conseguiu construir em apenas seis anos uma federação sólida, que foi capaz de revelar atletas à níveis nacional e mundial, chegando a receber uma homenagem honrosa do Comitê Olímpico Internacional, por esse projeto de responsabilidade social, que foi disseminar o badminton, esporte até então de menor acesso, para as vilas e favelas de todo o Piauí, tornando-o um esporte crescente no estado.

Após ter deixado a federação com a modalidade no Piauí sendo a segunda maior do país, Ferraz acredita em metas mais desafiadoras, como poder um dia comparar o badminton do Piauí ao da China, maior potencia do mundo na modalidade, da qual ainda estamos muito distantes.

Mas com a meta de o Brasil fazer uma boa participação nas Olimpíadas de 2016, que acontecerá no Rio de Janeiro, e quem sabe contar com a participação de piauienses nos jogos olímpicos de 2020, o trabalho começa agora, e Londres é uma oportunidade de estudo, que vai somar ao trabalho da confederação brasileira nos próximos anos.

Francisco Ferraz foi eleito presidente da Confederação Brasileira de Badminton no dia 26 de maio deste ano, tendo sido confiado o trabalho por dez estados, contra apenas um.

O piauiense embarca na próxima quarta-feira, 25 e permanecerá em Londres até o dia dez de agosto.

Fonte: Portal AZ

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 4 de 13