PICKLEBALL NO SESC BOM RETIRO

Dias 03, 04, 11 e 15 de Novembro          



Milagres acontecem quando a gente vai à luta

Data: 29/08/12

O epílogo

“Nasci no dia 03 de abril de 1994, no Recife. Quando tinha dois anos e seis meses de idade, sofri um grave acidente. Fui atropelada por um ônibus que perdeu o controle e subiu à calçada. O motorista tentou fugir, me arrastando por alguns metros e passando por cima das minhas pernas. Cheguei ao hospital com 2% de chance de vida – com traumatismo craniano, vários hematomas, e sem chances de recuperar minhas pernas” …

Este é o início da história de Natália Mayara, contada aqui com as suas próprias palavras. Apenas o início. Daquele brutal acidente na Avenida Agamenon Magalhães – uma das principais do Recife – no dia 26 de setembro de 2006 até hoje, a vida de Natália passou por incontáveis transformações.

A tragédia virou drama, que virou luta pela sobrevivência, que que virou milagre, que virou recomeço, que virou dedicação, que virou paixão, que virou sonho, que virou realidade…que está prestes a virar história.

Natália desfilará com a delegação do Brasil no estádio Olímpico de Londres para a abertura dos Jogos Paralímpicos de 2012.

No sábado, ela entrará em quadra para se tornar a primeira tenista brasileira na história da Paralimpíada.

As fotos espalhadas por esta página nos ajudam a fazer uma viagem no tempo.

Entre setembro de 1996 e setembro 2012. Em 16 anos, a menina que praticamente perdeu a vida no asfalto da Agamenon Magalhães tornou-se a garota bonita e sorridente destas imagens.

Depois do acidente foram 95 dias internada no Hospital da Restauração, no Recife, onde passou por 12 cirurgias – incluindo as duas amputações. O que era uma tragédia, aos poucos, passou a ser encarado como um milagre.

Sem demagoria ou conformismo. Era realmente uma segunda vida que nascia. O que ninguém poderia imaginar era até onde aquela menina que batalhou para sobreviver iria chegar.

 

“Aos 8 anos fui morar em Brasília, onde realizava a maior parte dos meus tratamentos (na Rede Sara Kubitschek ). Sempre me interessei por esportes, experimentando várias modalidades. Aos 12 anos de idade, comecei na natação, mas aos 13, conheci o tênis e me apaixonei. Hoje não consigo me imaginar longe das quadras”, diz Natália, em sua apresentação pessoal no Facebook.

Treinada por Wanderson Cavalcante, a pernambucana de apenas 18 anos tinha planos para disputar a sua primeira Paraolimpíada apenas em 2016, no Rio de Janeiro. Porém, uma sequência de grandes resultados logo na transição do juvenil para o adulto, a colocou na 27ª posição do ranking mundial e antecipou a realização do sonho. A chave do tênis na Paraolimpíada conta com os 32 melhores do mundo. Além dela, o tênis brasileiro em Londres terá Carlos Jordan Santos, Mauricio Pomme, Daniel Rodrigues e Rafael Medeiros.

•Regras

•A única diferença entre o tênis sobre cadeiras de rodas e o convencional é que, no primeiro, a bola pode quicar duas vezes, sendo que a primeira delas deve ser dentro da quadra.

Fora isso, os pontos são conquistados da mesma maneira e as partidas são disputadas em melhor de três sets.

Fonte: Rede Tenis

Brasileiros finalizam período de aclimatação para as Paralimpíadas de Londres

Data: 20/08/12

Meta da delegação é superar o desempenho dos Jogos de Pequim 2008.

A nove dias do inicio dos Jogos Paralímpicos de Londres, a delegação brasileira está pronta para se despedir de Manchester, cidade inglesa escolhida para a aclimatação dos atletas.

Das 18 modalidades que o país disputará na capital inglesa, 16 viajaram mais cedo para finalizarem sua preparação no exterior.

Atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, ciclismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, natação, remo, tênis em cadeira de rodas, tênis de mesa e vôlei sentado fizeram sua aclimatação em Manchester.

Hipismo fez uma parte na França e outra em Bishop Burton (Inglaterra), com direito a competição com alguns dos países que disputarão as Paralimpíadas.

Vela adaptada e tiro esportivo embarcam nesta terça-feira direto para Londres.

Desde o dia 14, mais de 200 atletas e técnicos brasileiros estão em Manchester. A cidade recebeu a delegação brasileira de braços abertos. Com instalações de ponta, os atletas realizam treinamentos em uma das melhores instalações da Europa.

Além da qualidade estrutural técnica, a alimentação dos atletas também foi planejada, mas exportada do Brasil. Para amenizar a saudade de casa, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) levou para a aclimatação uma alimentação tipicamente brasileira. Com arroz, feijão, salada e tempero tipicamente nacionais, a delegação conta com refeições balanceadas, elaboradas pela chef de cozinha Nara Codo e a nutricionista Flávia Figueiredo.

Essa é a primeira vez que o Brasil proporciona a aclimatação para a delegação brasileira antes da disputa dos Jogos Paralímpicos, graças ao convênio feito pelo CPB com o Ministério do Esporte, via Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv).

Em Pequim 2008, apenas atletismo e natação chegaram antes à China, com aclimatação em Macau.

Os Jogos Paralímpicos de Londres acontecem entre os dias 29 de agosto e 9 de setembro.

Fonte: Ahe Brasil

Brasileiros ensinam o atletismo para crianças inglesas e aprendem o badminton

Data: 17/08/12

Considerada uma das cidades mais acessíveis da Europa, Manchester também é referência internacional no incentivo à prática esportiva.

Nesta sexta-feira, 17 de agosto, alguns atletas brasileiros estiveram reunidos com crianças britâncias, no ginásio Belle Vue Centre.

Alice Correa (T12); Joana Silva (T13); Marco Aurélio Borges (F44); Paulo Douglas(F36) e Luciano Pereira(F11), todos do atletismo, praticaram a modalidade além de jogarem, pela primeira vez, badminton, um dos esportes mais porpulares na Inglaterra. No fim do encontro, além de autógrafos e fotos, os mirins desejaram “boa sorte” à equipe verde-amarelo nos Jogos de Londres.

“Estou muito feliz em poder brincar e ensinar o atletismo para essas crianças. Foi divertido o encontro. Além do carinho, conhecemos um esporte novo, disse Paulo Douglas, ouro no Lançamento de Disco nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011 e prata no Lançamento de Dardo no Mundial de Christchurch 2011.

Uma das crianças, Paul Bolck, disse estar “emocionado” em ver de perto um atleta paralímpico brasileiro.

“Esse dia será inesquecível”, comentou o garoto. O encontro faz parte da série de ações do Programa Comunitário Paralímpico – como parte do Trainning Camp – promovido pela prefeitura de Manchester em parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro.

A cidade, referência internacional no meio esportivo, recebe as Seleções de Atletismo, Basquete em Cadeira de Rodas, Bocha, Ciclismo, Esgrima em Cadeira de Rodas, Futebol de 5, Futebol de 7, Goalball, Natação, Halterofilismo, Judô, Remo, Tênis em cadeira, Tênis de Mesa e Vôlei Sentado para as preparações pré-Paralimpíada.

A aclimatação é possível graças ao convênio feito pelo Comitê Paralímpico Brasileiro com o Ministério do Esporte, via Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv).

Os Jogos Paralímpicos de Londres acontecem entre os dias 29 de agosto e 9 de setembro.

Por questões técnicas , Vela e Tiro esportivo treinam no Brasil. Já o Hipsimo se prepara na França.

Fonte: Comitê Paraolímpico Brasileiro

Delegação paralímpica brasileira embarca para aclimatação inédita

Data: 13/08/12

A delegação de atletas que vai defender o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Londres embarcou nesta segunda-feira para Manchester, na Inglaterra, onde vai realizar inédita aclimatação visando o evento.

Ao todo, 318 pessoas compõem o grupo que ficará isolado em treinamentos até 22 de agosto, quando se transferirá para a Vila Paralímpica.

O dia começou para a parte da delegação que embarca do Aeroporto de Guarulhos com um café da manhã em companhia das ministras Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos, e Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para Mulher.

Participaram as Seleções de natação, halterofilismo, judô, remo, atletismo, bocha, ciclismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5 e tênis de mesa.

"O Comitê Paralímpico Brasileiro, com seu belíssimo trabalho desenvolvido, mostra que a pessoa com deficiência não precisa ser tratada com assistencialismo. Todos querem cidadania igual, direitos iguais. Vocês levam hoje, no verde do uniforme, a esperança e os sonhos do povo brasileiro e vocês podem contar que seremos a melhor torcida do mundo", exaltou Maria do Rosário.

Direto do Rio de Janeiro embarcam basquete em cadeira de rodas, futebol de 7, goalball, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

Ao todo, os 182 atletas terão a oportunidade de, em Manchester, fazerem partidas amistosas e complementarem a preparação para a disputa da Paralimpíada de Londres.

A inédita aclimatação foi garantida por meio de convênio feito pelo Comitê Paralímpico Brasileiro com o Ministério do Esporte, via Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv).

Na Paralimpíada anterior, em Pequim 2008, apenas os atletas de natação e atletismo tiveram oportunidade semelhante, em Macau.

Os Jogos Paralímpicos de Londres serão realizados entre 29 de agosto a 9 de setembro.

Fonte: Terra Esportes

China fatura 4º ouro no tênis de mesa e confirma domínio

Data: 08/08/12

Como esperado, a China concluiu a sua participação no tênis de mesa da Olimpíada com uma campanha perfeita.

Nesta quarta-feira, o país conquistou o quarto ouro dos quatro distribuídos nos Jogos de Londres ao derrotar a Coreia do Sul por 3 a 0 na final por equipes.

Na campanha do título, os chineses Long Ma e Jike Zhang venceram a Rússia por 3 a 1, a Cingapura por 3 a 0 e a Alemanha por 3 a 1 para se garantir na decisão desta quarta-feira, quando confirmaram a supremacia do tênis de mesa, uma das fontes de orgulho nacional do país.

A China ganhou 24 de 28 medalhas de ouro desde que o tênis de mesa foi introduzido no programa olímpico em 1988, nos Jogos de Seul.

Nesta edição da Olimpíada, o país venceu as disputas de simples masculina e feminina, em competições em que também faturou as medalhas de prata. Além disso, foi ouro na disputa feminina por equipes.

Enquanto a medalha de prata da disputa masculina por equipes ficou com a Coreia do Sul, a Alemanha conquistou o bronze ao superar Hong Kong por 3 a 1.

Fonte: Rede Record

China quer repetir o feito agora em Tênis de Mesa

Data: 06/08/12

País de maior tradição na modalidade, a China continua na busca para conquistar todas as medalhas de ouro no tênis de mesa dos Jogos Olímpicos, tanto no feminino quanto no masculino, como já fez no badminton, em que ganhou todas as medalhas distribuídas por esse esporte em Londres.

No torneio feminino de tênis de mesa, a equipe chinesa fará a final na terça-feira contra o Japão, após ter derrotado a Coreia do Sul por 3 a 0 nesta segunda-feira.

Li Xiaoxia e Ding Ning ganharam suas partidas individuais contra Hajung Seok e Kyungah Kim, e a própria Ding, jogando ao lado de Guo Yue, selou a classificação para a decisão com um triunfo nas duplas.

A equipe masculina também passou para final ao eliminar a Alemanha nas semifinais com uma vitória por 3 a 1.

Ma Long ganhou a primeira partida contra Dimitrij Ovtcharov, mas Timo Boll empatou a eliminatória ao vencer inesperadamente Zhang, que é o número um do mundo.

Wang e Zhang, jogando juntos, venceram Steger e Boll, e Long conquistou o ponto decisivo contra Steger.

O rival na final masculina por equipes, que será disputada na quarta-feira, sairá do duelo entre Hong Kong e Coreia do Sul.

Já a final feminina será disputada na terça-feira, às 11h30 (horário de Brasília), contra a seleção do Japão.

A China já tem no bolso as duas medalhas de ouro nas provas individuais.

Se ganharem as finais por equipe, conquistam todas as medalhas possíveis no tênis de mesa, assim como fez no badminton.

Fonte: Terra Esportes

Após polêmica, China fecha o badminton com todos os ouros possíveis

Data: 05/08/12

Um esporte pouco conhecido pelos brasileiros, mas que ganhou as manchetes com a maior polêmica dos Jogos Olímpicos até aqui: o badminton se despediu de Londres neste domingo.

“Dominantes” na modalidade, os chineses levaram cinco medalhas de ouro das cinco possíveis – nesta manhã, foi a vez dos homens garantiram o ouro tanto no simples quanto nas duplas.

Acusadas de suposto "corpo mole", a dupla chinesa Yu Yang e Wang Xiaoli, campeãs em Pequim, acabarm eliminadas da disputa. A decisão pela desclassificação delas e também de outras duas duplas da Coreia do Sul e uma da Indonésia dos Jogos de Londres veio da Federação Internacional de Badminton após a última rodada da fase de grupos da competição.

Nessas partidas, as duplas teriam tentado evitar um cruzamento mais forte já nas quartas de final, e a entidade considerou que as atletas não “usaram todos os seus esforços para vencer uma partida”, o que seria contra as regras do esporte.

Neste domingo, o chinês Dan Lin fez partida equilibrada diante de Chong Wei Lee, da Malásia, na grande final do torneio individual masculino do badminton.

Após perder o primeiro set por 21/15, Lin teve tranquilidade para fazer 21/10 e atropelar Chong na segunda parcial e disputar o terceiro e último set ponto a ponto, antes de confirmar a medalha de ouro, a quarta de seu país na modalidade, com 21/19.

A partida foi a reedição da final olímpica de Pequim, que também acabou com a vitória de Dan Lin. A medalha de bronze ficou com outro chinês, Chen Long, que venceu o sul-coreano Lee Hyun Lee por 2 sets a 1, parciais de 21/12, 15/21 e 21/15.

Foi o primeiro bronze chinês no badminton – o país tem também duas pratas e quatro ouros, somando o maior número de medalhas da categoria.

Nas duplas, os sul-coreanos Chung e Lee derrotaram Koo e Tan, da Malásia, por 2 a 0 na disputa pela disputa do bronze. No primeiro set, o marcador de 23 a 21 provou o grande equilíbrio. Já na segunda parcial, os representantes da Coreia do Sul ganharam com facilidade: 21 a 10.

Na disputa pelo ouro, os chineses Yun Cai e Haifeng Fu confirmaram a supremacia de seu país no badminton e conquistaram o quinto ouro em cinco categorias do esporte.

A dupla bateu os dinamarqueses Mathias Boe e Carsten Mogensen por 2 sets a 0, parciais de 21/16 e 21/15, para conquistar sua primeira medalha de ouro em três edições dos Jogos disputadas – antes disso, foram prata em Pequim-2008.

Completa o pódio a dupla sul-coreana formada por Sung Chung Jae e Yong Dae Lee, que bateram Kien Ket Koo e Boon Heong Tan, da Malásia, por 2 sets a 0, parciais de 23/21 e 21/10, para conquistar a única medalha do país no badminton.

Antes do ouro nas duplas masculinas, a China subiu ao lugar mais alto do pódio nas duplas femininas e mistas e nos individuais masculino e feminino. Além dos cinco ouros, o país levou também duas pratas e um bronze, garantindo 8 das 15 medalhas concedidas pelo badminton.

Fonte: ESPN

Chineses são ouro nas duplas e confirmam supremacia no badminton

Data: 05/08/12

Os chineses Yun Cai e Haifeng Fu confirmaram a supremacia de seu país no badminton neste domingo, último dia de disputas da modalidade nos Jogos Olímpicos de Londres, ao conquistarem o quinto ouro em cinco categorias do esporte.

A dupla bateu os dinamarqueses Mathias Boe e Carsten Mogensen por 2 sets a 0, parciais de 21/16 e 21/15, para ganhar a primeira medalha de ouro em três edições dos Jogos disputadas - antes disso, foram prata em Pequim 2008.

Completaram o pódio a dupla sul-coreana formada por Sung Chung Jae e Yong Dae Lee, que bateram Kien Ket Koo e Boon Heong Tan, da Malásia, por 2 sets a 0, parciais de 23/21 e 21/10, para conquistar a única medalha do país no badminton.

Antes do ouro nas duplas masculinas, a China subiu ao lugar mais alto do pódio nas duplas femininas e mistas e nos individuais masculino e feminino. Além dos cinco ouros, o país levou também duas pratas e um bronze, garantindo 8 das 15 medalhas concedidas pelo badminton.

Fonte: Terra Esportes

Ouro no badminton, chinesa lembra "entregada" e diz: medalha é de todos

Data: 05/08/12

A dupla chinesa de badminton Tian Qing e Zhao Yunlei venceu as japonesas Mizuki Fujii e Kakiiwa Reika por 2 sets a 0 no sábado, na final de duplas da modalidade na Olimpíada de Londres.

Yunlei valorizou o feito, que aconteceu após o escândalo da outra dupla chinesa inscrita na competição feminina, Yu Yang e Wang Xiaoli.

A parceria acabou expulsa da Olimpíada junto a um time da Indonésia e dois da Coreia do Sul por ter "entregado" confrontos na primeira fase em busca de adversários teoricamente mais fáceis a partir das quartas de final.

Segundo nota publicada no site da Federação Internacional de Badminton, Zhao afirmou que a vitória prova que o time do país é muito forte.

"Eu acho que nós provamos para a equipe chinesa, que, considerando tudo o que tinha acontecido, a China ainda pode ganhar uma medalha de ouro".

Além do ouro conquistado nas duplas Zhao Yunlei também conquistou o ouro no simples, na sexta-feira.

No fim de tudo, o resultado ficou acima de suas expectativas, conforme admitiu: "a glória não é só minha. Eu gostaria de compartilhar a medalha de ouro com as muitas pessoas que estão por trás do meu sucesso" À agência estatal chinesa Xinhua, ela negou ter sentido a pressão e ressaltou que a medalha de ouro serve como incentivo para muitas pessoas.

Zhao ainda afirmou que ela e sua parceira, Qing, merecem a medalha após tantos anos competindo juntas. A atleta concluiu apontando que estão sempre apoiando uma a outra nos momentos difíceis, o que facilitou para chegar ao título.

Fonte: Terra Esportes

Na Marca do Pênalti

Data: 02/08/12

Bristol (EUA) – A metáfora pode ser estranha, em se tratando de badminton, mas o fato é que o esporte da peteca, raquete e rede, muito simpático para se praticar no quintal ou no gramado em uma tarde de fim de semana, corre o sério risco de ser eliminado da pauta olímpica depois dos Jogos a serem disputados no Rio em 2016.

Meus informantes me garantem que, no Rio, o badminton está garantido, mas, depois, provavelmente estará fora, por causa do escândalo da desclassificação de quatro duplas femininas por tentarem perder deliberadamente, agora, em Londres.

Todos falam no momento da partida entre Áustria e Alemanha Ocidental na Copa do Mundo de 1982, em que o resultado de 1 a 0 para os alemães classificava os dois países e deixava a Argélia de fora da fase seguinte, pelo saldo de gols.

Poderiam também ter lembrado o jogo entre Argentina e Peru, na Copa de 1978. A partir dos dois resultados, a FIFA tomou a precaução de fazer com que jogos em que um resultado depende de outro sejam disputados no mesmo horário, para evitar marmeladas semelhantes.

O caso agora é que as jogadoras colocaram o que chamaram “estratégia de competição” acima do resultado imediato.

A dupla chinesa, atual campeã do mundo, queria evitar ter que enfrentar outra dupla de seu país antes da final. Os cartolas do badminton não gostaram, a torcida vaiou, todas as oito implicadas foram desclassificadas.

Mas a Federação Internacional de Badminton tem culpa no cartório, por criar uma tabela de competição sujeita a tais chuvas e trovoadas.

Não é a primeira vez que jogos de badminton são perdidos de propósito.

A diferença é que agora o fato ocorreu na presença do presidente do Comitê Olímpico Internacional e de uma audiência de milhões de pessoas ao redor do mundo, especialmente na Ásia, onde o esporte é muito popular.

Para 2020, tudo indica que será bye, bye, badminton.

Fonte: Gazeta Esportiva

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 3 de 13