PADMINTON

Um novo Esporte de Raquete               



Delegação paralímpica brasileira embarca para aclimatação inédita

Data: 13/08/12

A delegação de atletas que vai defender o Brasil nos Jogos Paralímpicos de Londres embarcou nesta segunda-feira para Manchester, na Inglaterra, onde vai realizar inédita aclimatação visando o evento.

Ao todo, 318 pessoas compõem o grupo que ficará isolado em treinamentos até 22 de agosto, quando se transferirá para a Vila Paralímpica.

O dia começou para a parte da delegação que embarca do Aeroporto de Guarulhos com um café da manhã em companhia das ministras Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos, e Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para Mulher.

Participaram as Seleções de natação, halterofilismo, judô, remo, atletismo, bocha, ciclismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5 e tênis de mesa.

"O Comitê Paralímpico Brasileiro, com seu belíssimo trabalho desenvolvido, mostra que a pessoa com deficiência não precisa ser tratada com assistencialismo. Todos querem cidadania igual, direitos iguais. Vocês levam hoje, no verde do uniforme, a esperança e os sonhos do povo brasileiro e vocês podem contar que seremos a melhor torcida do mundo", exaltou Maria do Rosário.

Direto do Rio de Janeiro embarcam basquete em cadeira de rodas, futebol de 7, goalball, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

Ao todo, os 182 atletas terão a oportunidade de, em Manchester, fazerem partidas amistosas e complementarem a preparação para a disputa da Paralimpíada de Londres.

A inédita aclimatação foi garantida por meio de convênio feito pelo Comitê Paralímpico Brasileiro com o Ministério do Esporte, via Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv).

Na Paralimpíada anterior, em Pequim 2008, apenas os atletas de natação e atletismo tiveram oportunidade semelhante, em Macau.

Os Jogos Paralímpicos de Londres serão realizados entre 29 de agosto a 9 de setembro.

Fonte: Terra Esportes

China fatura 4º ouro no tênis de mesa e confirma domínio

Data: 08/08/12

Como esperado, a China concluiu a sua participação no tênis de mesa da Olimpíada com uma campanha perfeita.

Nesta quarta-feira, o país conquistou o quarto ouro dos quatro distribuídos nos Jogos de Londres ao derrotar a Coreia do Sul por 3 a 0 na final por equipes.

Na campanha do título, os chineses Long Ma e Jike Zhang venceram a Rússia por 3 a 1, a Cingapura por 3 a 0 e a Alemanha por 3 a 1 para se garantir na decisão desta quarta-feira, quando confirmaram a supremacia do tênis de mesa, uma das fontes de orgulho nacional do país.

A China ganhou 24 de 28 medalhas de ouro desde que o tênis de mesa foi introduzido no programa olímpico em 1988, nos Jogos de Seul.

Nesta edição da Olimpíada, o país venceu as disputas de simples masculina e feminina, em competições em que também faturou as medalhas de prata. Além disso, foi ouro na disputa feminina por equipes.

Enquanto a medalha de prata da disputa masculina por equipes ficou com a Coreia do Sul, a Alemanha conquistou o bronze ao superar Hong Kong por 3 a 1.

Fonte: Rede Record

China quer repetir o feito agora em Tênis de Mesa

Data: 06/08/12

País de maior tradição na modalidade, a China continua na busca para conquistar todas as medalhas de ouro no tênis de mesa dos Jogos Olímpicos, tanto no feminino quanto no masculino, como já fez no badminton, em que ganhou todas as medalhas distribuídas por esse esporte em Londres.

No torneio feminino de tênis de mesa, a equipe chinesa fará a final na terça-feira contra o Japão, após ter derrotado a Coreia do Sul por 3 a 0 nesta segunda-feira.

Li Xiaoxia e Ding Ning ganharam suas partidas individuais contra Hajung Seok e Kyungah Kim, e a própria Ding, jogando ao lado de Guo Yue, selou a classificação para a decisão com um triunfo nas duplas.

A equipe masculina também passou para final ao eliminar a Alemanha nas semifinais com uma vitória por 3 a 1.

Ma Long ganhou a primeira partida contra Dimitrij Ovtcharov, mas Timo Boll empatou a eliminatória ao vencer inesperadamente Zhang, que é o número um do mundo.

Wang e Zhang, jogando juntos, venceram Steger e Boll, e Long conquistou o ponto decisivo contra Steger.

O rival na final masculina por equipes, que será disputada na quarta-feira, sairá do duelo entre Hong Kong e Coreia do Sul.

Já a final feminina será disputada na terça-feira, às 11h30 (horário de Brasília), contra a seleção do Japão.

A China já tem no bolso as duas medalhas de ouro nas provas individuais.

Se ganharem as finais por equipe, conquistam todas as medalhas possíveis no tênis de mesa, assim como fez no badminton.

Fonte: Terra Esportes

Após polêmica, China fecha o badminton com todos os ouros possíveis

Data: 05/08/12

Um esporte pouco conhecido pelos brasileiros, mas que ganhou as manchetes com a maior polêmica dos Jogos Olímpicos até aqui: o badminton se despediu de Londres neste domingo.

“Dominantes” na modalidade, os chineses levaram cinco medalhas de ouro das cinco possíveis – nesta manhã, foi a vez dos homens garantiram o ouro tanto no simples quanto nas duplas.

Acusadas de suposto "corpo mole", a dupla chinesa Yu Yang e Wang Xiaoli, campeãs em Pequim, acabarm eliminadas da disputa. A decisão pela desclassificação delas e também de outras duas duplas da Coreia do Sul e uma da Indonésia dos Jogos de Londres veio da Federação Internacional de Badminton após a última rodada da fase de grupos da competição.

Nessas partidas, as duplas teriam tentado evitar um cruzamento mais forte já nas quartas de final, e a entidade considerou que as atletas não “usaram todos os seus esforços para vencer uma partida”, o que seria contra as regras do esporte.

Neste domingo, o chinês Dan Lin fez partida equilibrada diante de Chong Wei Lee, da Malásia, na grande final do torneio individual masculino do badminton.

Após perder o primeiro set por 21/15, Lin teve tranquilidade para fazer 21/10 e atropelar Chong na segunda parcial e disputar o terceiro e último set ponto a ponto, antes de confirmar a medalha de ouro, a quarta de seu país na modalidade, com 21/19.

A partida foi a reedição da final olímpica de Pequim, que também acabou com a vitória de Dan Lin. A medalha de bronze ficou com outro chinês, Chen Long, que venceu o sul-coreano Lee Hyun Lee por 2 sets a 1, parciais de 21/12, 15/21 e 21/15.

Foi o primeiro bronze chinês no badminton – o país tem também duas pratas e quatro ouros, somando o maior número de medalhas da categoria.

Nas duplas, os sul-coreanos Chung e Lee derrotaram Koo e Tan, da Malásia, por 2 a 0 na disputa pela disputa do bronze. No primeiro set, o marcador de 23 a 21 provou o grande equilíbrio. Já na segunda parcial, os representantes da Coreia do Sul ganharam com facilidade: 21 a 10.

Na disputa pelo ouro, os chineses Yun Cai e Haifeng Fu confirmaram a supremacia de seu país no badminton e conquistaram o quinto ouro em cinco categorias do esporte.

A dupla bateu os dinamarqueses Mathias Boe e Carsten Mogensen por 2 sets a 0, parciais de 21/16 e 21/15, para conquistar sua primeira medalha de ouro em três edições dos Jogos disputadas – antes disso, foram prata em Pequim-2008.

Completa o pódio a dupla sul-coreana formada por Sung Chung Jae e Yong Dae Lee, que bateram Kien Ket Koo e Boon Heong Tan, da Malásia, por 2 sets a 0, parciais de 23/21 e 21/10, para conquistar a única medalha do país no badminton.

Antes do ouro nas duplas masculinas, a China subiu ao lugar mais alto do pódio nas duplas femininas e mistas e nos individuais masculino e feminino. Além dos cinco ouros, o país levou também duas pratas e um bronze, garantindo 8 das 15 medalhas concedidas pelo badminton.

Fonte: ESPN

Chineses são ouro nas duplas e confirmam supremacia no badminton

Data: 05/08/12

Os chineses Yun Cai e Haifeng Fu confirmaram a supremacia de seu país no badminton neste domingo, último dia de disputas da modalidade nos Jogos Olímpicos de Londres, ao conquistarem o quinto ouro em cinco categorias do esporte.

A dupla bateu os dinamarqueses Mathias Boe e Carsten Mogensen por 2 sets a 0, parciais de 21/16 e 21/15, para ganhar a primeira medalha de ouro em três edições dos Jogos disputadas - antes disso, foram prata em Pequim 2008.

Completaram o pódio a dupla sul-coreana formada por Sung Chung Jae e Yong Dae Lee, que bateram Kien Ket Koo e Boon Heong Tan, da Malásia, por 2 sets a 0, parciais de 23/21 e 21/10, para conquistar a única medalha do país no badminton.

Antes do ouro nas duplas masculinas, a China subiu ao lugar mais alto do pódio nas duplas femininas e mistas e nos individuais masculino e feminino. Além dos cinco ouros, o país levou também duas pratas e um bronze, garantindo 8 das 15 medalhas concedidas pelo badminton.

Fonte: Terra Esportes

Ouro no badminton, chinesa lembra "entregada" e diz: medalha é de todos

Data: 05/08/12

A dupla chinesa de badminton Tian Qing e Zhao Yunlei venceu as japonesas Mizuki Fujii e Kakiiwa Reika por 2 sets a 0 no sábado, na final de duplas da modalidade na Olimpíada de Londres.

Yunlei valorizou o feito, que aconteceu após o escândalo da outra dupla chinesa inscrita na competição feminina, Yu Yang e Wang Xiaoli.

A parceria acabou expulsa da Olimpíada junto a um time da Indonésia e dois da Coreia do Sul por ter "entregado" confrontos na primeira fase em busca de adversários teoricamente mais fáceis a partir das quartas de final.

Segundo nota publicada no site da Federação Internacional de Badminton, Zhao afirmou que a vitória prova que o time do país é muito forte.

"Eu acho que nós provamos para a equipe chinesa, que, considerando tudo o que tinha acontecido, a China ainda pode ganhar uma medalha de ouro".

Além do ouro conquistado nas duplas Zhao Yunlei também conquistou o ouro no simples, na sexta-feira.

No fim de tudo, o resultado ficou acima de suas expectativas, conforme admitiu: "a glória não é só minha. Eu gostaria de compartilhar a medalha de ouro com as muitas pessoas que estão por trás do meu sucesso" À agência estatal chinesa Xinhua, ela negou ter sentido a pressão e ressaltou que a medalha de ouro serve como incentivo para muitas pessoas.

Zhao ainda afirmou que ela e sua parceira, Qing, merecem a medalha após tantos anos competindo juntas. A atleta concluiu apontando que estão sempre apoiando uma a outra nos momentos difíceis, o que facilitou para chegar ao título.

Fonte: Terra Esportes

Na Marca do Pênalti

Data: 02/08/12

Bristol (EUA) – A metáfora pode ser estranha, em se tratando de badminton, mas o fato é que o esporte da peteca, raquete e rede, muito simpático para se praticar no quintal ou no gramado em uma tarde de fim de semana, corre o sério risco de ser eliminado da pauta olímpica depois dos Jogos a serem disputados no Rio em 2016.

Meus informantes me garantem que, no Rio, o badminton está garantido, mas, depois, provavelmente estará fora, por causa do escândalo da desclassificação de quatro duplas femininas por tentarem perder deliberadamente, agora, em Londres.

Todos falam no momento da partida entre Áustria e Alemanha Ocidental na Copa do Mundo de 1982, em que o resultado de 1 a 0 para os alemães classificava os dois países e deixava a Argélia de fora da fase seguinte, pelo saldo de gols.

Poderiam também ter lembrado o jogo entre Argentina e Peru, na Copa de 1978. A partir dos dois resultados, a FIFA tomou a precaução de fazer com que jogos em que um resultado depende de outro sejam disputados no mesmo horário, para evitar marmeladas semelhantes.

O caso agora é que as jogadoras colocaram o que chamaram “estratégia de competição” acima do resultado imediato.

A dupla chinesa, atual campeã do mundo, queria evitar ter que enfrentar outra dupla de seu país antes da final. Os cartolas do badminton não gostaram, a torcida vaiou, todas as oito implicadas foram desclassificadas.

Mas a Federação Internacional de Badminton tem culpa no cartório, por criar uma tabela de competição sujeita a tais chuvas e trovoadas.

Não é a primeira vez que jogos de badminton são perdidos de propósito.

A diferença é que agora o fato ocorreu na presença do presidente do Comitê Olímpico Internacional e de uma audiência de milhões de pessoas ao redor do mundo, especialmente na Ásia, onde o esporte é muito popular.

Para 2020, tudo indica que será bye, bye, badminton.

Fonte: Gazeta Esportiva

Técnico chinês lamenta falta de luta e assume culpa por "entregada"

Data: 02/08/12

O técnico da equipe chinesa de badmintom, Li Yongbo, assumiu a culpa pelo escândalo da dupla Yu Yang e Wang Xiaoli, que acabou expulsa da Olimpíada junto a uma parceria da Indonédia e duas da Coreia do Sul.

A atitude foi tomada pela Federação Internacional de Badminton, que julgou que as competidoras perderem propositalmente para enfrentar adversários teoricamente mais fáceis nas quartas de final da competição.

Segundo declarações publicadas pelo Comitê Olímpico Chinês, Yongbo disse que, como treinador da equipe, deve desculpas pelo escândalo aos chineses e a todo público que gosta de badminton.

O técnico ainda afirmou que a dupla chinesa não conseguiu fazer valer a boa tradição e o espírito de luta dos atletas nacionais.

O comunicado divulgado pelo comitê chinês informou concordar plenamente com a decisão da federação e apontou que a ação da dupla contrariou totalmente o espírito olímpico e o espírito do "fair play" ("jogo limpo").

O Comitê Olímpico Internacional (COI) também aprovou a decisão, definindo que os esportistas punidos claramente elas estavam dando o seu melhor em quadra.

Após a exclusão, a chinesa Yu Yang, 26 anos, anunciou no Weibo, rede social chinesa, que os Jogos Olímpicos de 2012 foram sua última competição. Na mensagem, a esportista se despede do seu "amado" esporte, conforme classificou.

A aposentadoria veio logo após o país ordenar um pedido de desculpas por parte das atletas. Apesar do escândalo, a competição de badminton continua normalmente na Olimpíada de Londres. Com a exclusão das duplas de Coreia do Sul, Indonésia e China, as parcerias que tinham sido eliminadas e estavam em terceiro e quartos lugares nos grupos A e C (exatamente os mesmos das competidoras expulsas) foram classificadas automaticamente às quartas de final - essa fase do torneio feminino foi disputada nesta quarta-feira.

Fonte: Terra Esportes

Patrocínio inusitado no badminton: um euro a cada seguidor no Twitter

Data: 31/07/12

Para ter melhores condições de treino até as Olimpíadas do Rio de Janeiro, finlandês vai ganhar quantia por seguidor. Limite é de R$ 24,8 mil.

Eliminado na fase de grupos do badminton em Londres na segunda-feira, o finlandês Ville Lang conseguiu um apoio inusitado para conseguir um resultado melhor nas Olimpíadas do Rio, em 2016.

Um dos patrocinadores do atleta anunciou nesta terça-feira que vai pagar uma quantia para o atleta de acordo com o número de seguidores no Twitter de Lang.

A cada seguidor, ele ganha um euro (R$ 2,40).

Mas há limite. O patrocinador avisou que pagará, no maximo, 10 mil euros (R$ 24,8 mil).

Quando houve o anúncio do patrocínio, às 5h (de Brasília) desta terça, Ville Lang tinha 441 seguidores. Mas o número já passou de 6 mil.

O representante da empresa afirmou que a quantia seria destinada à preparação do atleta para os Jogos de 2016.

O jogador, de 27 anos, agradeceu a iniciativa e prometeu se empenhar para chegar bem ao Rio de Janeiro.

- Uau! Cada seguidor vai me ajudar a ter melhores condições até Rio 2016.

Fonte: Globo Esporte

Federação expulsa dos Jogos atletas que tentaram entregar no badminton

Data: 30/07/12

Entidade anuncia exclusão das oito jogadores que tentaram perder suas partidas para conseguir um confronto mais fácil nas quartas de final.

A Federação Internacional de Badminton decidiu nesta quarta-feira excluir dos Jogos Olímpicos de Londres as quatro duplas femininas que jogaram para perder na última rodada da fase de grupos, na terça-feira.

Estão fora das Olimpíadas as chinesas Wang Xiaoli e Yu Yang, as indonésias Greysia Polii e Meiliana Jauhari, e as sul-coreanas Jung Kyung-eun, Kim Ha-na, Ha Jung-eun e Kim Min Jung.

A decisão da entidade recebeu elogios do vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional, Craig Reedie, que já foi presidente da Federação Internacional de Badminton.

- Se você tira o elemento competitivo do esporte, ele fica sem sentido. Você não pode permitir esse time de comportamento sem tomar uma ação firme. A federação acertou - disse.

As duas partidas que envolveram as duplas excluídas provocaram grande polêmica na terça-feira. Depois de sequências de saques no meio da rede e erros bizarros, os torcedores passaram a vaiar as duplas, e os jogos chegaram a ser interrompidos pelos árbitros, que pediram seriedade e ameaçaram desqualificar as atletas, mas nem assim foram atendidos.

As duplas tentaram entregar seus jogos na última fase de grupos porque já estavam classificadas às quartas de final e queriam evitar um confronto mais difícil.

Mas, com dois times querendo entregar no mesmo jogo, criou-se um constrangimento de repercussão mundial. O presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Londres, Sebastian Coe, criticou as atletas.

- Foi inaceitável e deprimente. Quem quer ver um jogo assim? - disse.

Na manhã desta quarta, a Federação Internacional de Badminton decidiu abrir uma investigação contra as atletas, por "não se esforçar para ganhar um jogo". Horas depois, decidiu-se pela exclusão.

Fonte: Globo Esporte

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 3 de 13