O encontro de Rio Bonito com o Badminton

Qualifique este item
(1 vote)

Data: 06/04/13

O ENCONTRO DE RIO BONITO COM O BADMINTON

Por Christina Lorenzi

– Parte I

Como eu havia te prometido, Alex Hudson, aqui está um histórico contando como surgiu a ideia de se praticar o Badminton aqui em Rio Bonito, e de como eu abracei esta causa ou desafio (como queiram) de tocar um projeto sério e honesto pra frente.

Em 2010 ouvi pela primeira vez o então Secretário de Esportes Dr Élio Campos, falar sobre a construção de um CT em Rio Bonito para o Badminton.

Na época não levei muito a sério, não a ideia e sim o esporte, que considerava meio sem graça e esdrúxulo.

Pura ignorância de minha parte, pois não sabia nada a respeito do esporte a não ser que, era jogado com uma raquetinha comprida, uma petequinha de penas de ganso e tinha uma redinha baixa dividindo as quadras.

A ideia do Dr Élio era muito boa pois seria um CT à 75Km da cidade do Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Estaria dentro das especificações do COB e do COI e seria um excelente legado de inclusão social para nossa cidade.

Mas a política como sempre, não acompanha a lógica do social, do esportivo, do cultural. Ela tem vontades próprias que desprezam os interesses do coletivo. A ideia ficou esquecida, adormecida, Dr Élio solicitou sua saída da secretaria e a vida seguiu em frente.

Ronen Antunes assumiu a pasta e todos os desafios que ela, a SEMEL, poderia lhe proporcionar. O Badminton não foi mais mencionado, até o dia em que o Ossian Silva apareceu com um kit na secretaria e nós, de posse das raquetes e da peteca, ensaiamos umas trocas de golpes, diga-se de passagem, sem muito sucesso.

Aí me veio a mente que, quando ainda estava na Federação de Basquete, eu e meus colegas árbitros zoávamos uma colega nossa que jogava, dava aulas e arbitrava Badminton.

Eu e Ossian contactamos a minha colega, Carla, e acertamos com ela uma capacitação básica que foi feita num final de semana, no Ginásio da Serra, com portões fechados, só pra nós dois.

Quando começamos a aprender os golpes e as manhas do Badminton ficamos pra lá de entusiasmados e eu, que não deixo nada para depois, pesquisei e comprei um material básico, suficiente para dar aulas num núcleo esportivo experimental.

Ronen me deu carta branca e no dia 04 de abril de 2011, iniciei as aulas do Núcleo Esportivo de Badminton da Serra do Sambê.

Na foto, dez dos primeiros alunos que iniciaram o Núcleo. Da esquerda para a direita: Elaine, Lucas, Carlos Kerley, Aleksander Christina e Elder Darlan Chelque. Ronen Antunes, Estevão, Lorrany Magalhães, Cassiane, Vitoria Carvalho e Andreyna Coutinho.

Fonte: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Club Racket

Precisando de material para a prática de badminton? Acesse o link abaixo e confira:

www.sandrafastplay.mercadoshops.com.br