Brasil segue vivo na disputa por vaga no Badminton em Londres 2012

Qualifique este item
(1 vote)

Data: 20/04/2012 

Restando menos de 100 dias dos Jogos Olímpicos de Londres, a contagem regressiva se aproxima do fim e as últimas vagas do badminton prometem muita emoção.

Faltando poucos torneios para o anúncio oficial, a calculadora passa a fazer parte integrante dos equipamentos dos atletas.

O Brasil continua na briga e ainda tem esperança de colocar seu primeiro atleta nos Jogos Olímpicos.

Atual momento

Se a lista oficial estivesse fechada e divulgada hoje, o último atleta masculino classificado para a chave de simples seria o israelense Misha Zilberman, atual 73º do mundo.

O brasileiro Daniel Paiola seria o segundo atleta numa possível lista de espera. Paiola foi ultrapassado pelo iraniano Kaveh Mehrabi, após os resultados do Torneio do Peru.

Quem secar?

No topo do ranking, a China continua com o desafio de classificar três atletas masculinos (maior número de vagas para um único país, em caso de possuir três atletas entre os quatro melhores do mundo).

A disputa acontece entre o dinamarquês Peter Gade e o chinês Chen Jin, 4º e 5º do mundo, respectivamente. Gade perdeu nas quartas de finais do Torneio Europeu, onde precisava garantir um bom resultado para se manter na frente.

Na próxima competição (Yonex Sunrise India Open 2012), Gade defenderá pontos de um vice-campeonato e corre o risco de perder o posto para o chinês. Chen Jin está nas semi-finais do Torneio Asiático e segue na cola do dinamarquês. Na partida de amanhã, enfretará o outro chinês Lin Dan e pode haver um jogo de equipe (os quatro atletas semi-finalistas são chineses), facilitando a vitória de Chen Jin.

No Torneio da Índia, Chen Jin já pode chegar a frente de Gade e encontrá-lo nas semifinais. Caso o chinês consiga a quarta colocação, automaticamente, haverá uma vaga a menos para os outros atletas, que estão no final da lista.

Mais abaixo na tabela, no 17º lugar do ranking, o sul-coreano Shon Wan Ho tenta ser o segundo atleta do país classificado. Para que ele consiga a vaga, ele precisa estar entre os 16 melhores do mundo.

Atualmente, na 17ª colocação, ele precisa ultrapassar o alemão Marc Zwiebler. A diferença entre os dois é de apenas 86 pontos. Eles devem se enfrentar na Índia, no próximo torneio.

A disputa do atleta brasileiro Daniel Paiola é pelas últimas vagas disponíveis. Para uma classificação na primeira lista divulgada, somente a conquista de ao menos um torneio, em conjunto com mais uma ótima combinação de resultados.

As maiores chances são realmente na lista de espera. É comum alguns países possuírem regras internas de classificação olímpica, o que pode abrir espaços.

O que fazer?

Só há uma única saída: vitórias.

Paiola precisa, no mínimo, permanecer onde está. Como objetivo deve recuperar a posição perdida para Kaveh Mehrabi e se garantir como primeiro nome da lista de espera.

Os outros adversários de olho na lista de espera são: o americano Sattawat Pongnairat e o italiano Rosario Maddaloni. Sattawat já encerrou sua rotina de torneios e não marcará mais pontos até o fim da contagem.

Maddaloni seguirá os passos do brasileiro e disputará o Torneio do Tahiti e de Portugal.

A diferença de pontos entre ambos é grande.

Torcer!

O Brasil continua com chances. Os últimos dois torneios serão decisivos. Mesmo após a liberação da lista oficial, as emoções continuarão.

No momento, o brasileiro precisa conquistar bons resultados.

Retrospecto

Tomando como base as listas dos Jogos Olímpicos anteriores, este ano é a disputa mais acirrada das últimas quatro edições.

Nas outras, atletas masculinos que estavam entre os 100 primeiros colocados no ranking mundial se classificaram sem problemas na primeira lista oficial.

Fonte: www.danielpaiola.com